Policlínica Regional do Baixo Sul inicia atendimentos em Junho

Representantes de prefeituras consorciadas discutiram em Assembleia Geral Extraordinária, os últimos detalhes para o funcionamento da policlínica com sede em Valença.

 

A Assembleia foi intermediada pelo Coordenador dos Consórcios de Saúde da Secretaria Estadual da Saúde – Sesab, Nelson Portela, e presidida pelo presidente do Consórcio, Leonardo Cardoso, prefeito de Gandu.

“Esse consórcio irá trazer bons frutos para o Baixo Sul. Essa estratégia do governador Rui Costa de descentralização da saúde tem sido de extrema importância para trazer o serviço de saúde para o interior, isso está sendo uma inovação que vai abraçar os municípios da região”, disse o presidente do Consórcio, Leonardo Cardoso.

O prefeito anfitrião, Ricardo Silva Moura destacou que a assinatura do protocolo de intenção da Policlínica foi um dos momentos mais felizes de sua vida. “Pra gente que conhece muito de perto a dor, o sofrimento do nosso povo que sai às 2 horas da manhã pra ir fazer um exame em Salvador, não temos dúvida que essa policlínica vai mudar a vida das pessoas, vai transformar a saúde na nossa região. Estou muito feliz e agradeço a Rui Costa pela iniciativa”, ressaltou o prefeito de Valença.

Nelson Portela informou que a sede do Consórcio será cedida pelo estado e funcionará próximo a Policlínica, no espaço do CSU, no bairro da Graça.

A adesão do município de Itaparica ao Consórcio foi uma das pautas aprovadas pela Assembleia. Portanto, agora fazem parte do órgão, 13 municípios. São eles: Cairu, Valença, Igrapiúna, Taperoá, Nova Ibiá, Presidente Tancredo Neves, Gandu, Itaparica, Wenceslau Guimarães, Teolândia, Nilo Peçanha, Camamu e Ituberá. Cerca de 350 mil habitantes serão beneficiados.

assinaturaOs prefeitos aprovaram o aumento no salário dos médicos, modificações do quadro de pessoal, a logomarca do consórcio e assinaram o contrato de rateio dos custos da policlínica, dos microônibus que farão o transporte dos pacientes entre os municípios e funcionamento da sede do consórcio, além do cronograma de desembolso dos valores acertados. De acordo com os contratos assinados, a sede do consórcio custará R$ 36.330,00 mil mensal e a policlínica + microônibus R$ 691 mil. O governo estadual arcará com 40% dos custos de cada contrato e o restante será rateada pelas prefeituras, de forma proporcional ao número de habitantes (R$ 1,27 per capita).

Ainda durante a Assembleia foram escolhidos os profissionais de cargos comissionados da policlínica e do consórcio. Para a Policlínica foram indicados o Diretor Geral, o Diretor Administrativo e um Diretor Médico. Para a gestão do Consórcio foram apresentadas as indicações para Diretor Executivo, Diretor Administrativo-Financeiro e Assistente Jurídico.

Os detalhes já foram discutidos e aprovados em Assembleia porque de acordo com o coordenador da Sesab, o Governo Estadual vai inaugurar o equipamento nas primeiras semanas de junho deste ano.

Participaram das discussões, representantes das prefeituras consorciadas, os prefeitos Fernando Brito (Cairu), Ioná Queiroz (Camamu), Leonardo Cardoso (Gandu), Leandro Ramos (Igrapiúna), José Murilo Nunes (Nova Ibiá), Everaldo Souza (Piraí do Norte), Rosival Lopes (Taperoá), Lázaro Andrade (Teolândia), Ricardo Moura (Valença) e o vice-prefeito Neto Baé (Ituberá).

Consórcio Público de Saúde Baixo Sul 1

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A POLICLÍNICA

O que são as Policlínicas Regionais de Saúde?
São Unidades Especializadas de Apoio Diagnóstico e Terapêutico com serviços de consultas clínicas especializadas em exames gráficos e de imagem, que potencializa o cuidado e atenção à saúde da população de forma humanizada. Elas oferecem um maior bem-estar aos pacientes do SUS, por meio de uma equipe multiprofissional qualificada e preparada para atender as demandas da região. A Policlínica possui 2.848,32m² de área construída com 12 consultórios.

Qual o objetivo?
As Policlínicas visam prestar serviços de média complexidade na rede de saúde da região, ampliando o acesso ambulatorial às diversas especialidades e exames em busca de uma maior atenção à saúde do paciente.

Como ter acesso?
Não é possível chegar e ser atendido na Policlínica. Elas atendem através de um agendamento feito pelas Secretarias de Saúde dos municípios consorciados, ou seja, dos municípios que se uniram para dividir os custos de assistência à saúde naquela Policlínica.

Quais os pacientes que devem ser encaminhados?
As policlínicas estão preparadas para receberem pacientes que não necessitem de cuidado e avaliação imediata do especialista, ou seja, que não precisem de atendimentos de urgência ou emergência. É importante saber que todo paciente encaminhado para as policlínicas deverá permanecer em acompanhamento com a Equipe de Atenção Básica.

Quais as especialidades médicas oferecidas?
Angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastrenterologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia/obstetrícia, mastologia, urologia, podendo ampliar ou substituir por outras especialidades de perfil epidemiológico (do que as pessoas adoecem) da região.

Quais exames podem ser feitos?
Ressonância Magnética (com e sem contraste), Tomografia (com e sem contraste), Mamografia, Ultrassonografia com doppler, Ecocardiografia, Ergometria, Mapa, Holter, Eletroencefalograma, Eletromiografia, Raio-X de 500Am, Eletrocardiograma, Endoscopia, Colonoscopia, Nasolaringoscopia, Colposcopia, Histeroscopia, Cistoscopia, entre outros, ligados às especialidades de oftalmologia. A oferta de exames vai depender do perfil da Policlínica.

O que mais pode ser feito?
Biópsias de mama, tireoide, próstata, dérmica, gastroenteral, entre outras. Estão inclusos também os procedimentos de vasectomia, cauterização, pequenas cirurgias e cuidados com o pé diabético, a depender do perfil da Policlínica.

Como vou me deslocar até a Policlínica?
Microônibus dos Consórcios de Saúde irão circular pelas cidades e levar os pacientes até as Policlínicas Regionais de Saúde. Os atendimentos devem ser agendados antecipadamente pelo município onde o usuário reside. Os roteiros de cada microônibus variam de acordo com a região.

Entre em contato com a Secretaria Municipal de Saúde da sua cidade para mais informações.

Fotos: Jornal Valença Agora

*Matéria na edição impressa, nº 676

assine-o-jornal